O funcionamento de plantas industriais é por vezes complexo do ponto de vista energético. Máquinas de alta potência como bombas e fornos consomem quantidades monumentais de energia, demandando a utilização de equipamentos como painéis elétricos, centros de controle de motores de baixa e média tensão, retificadores, transformadores e no-breaks.

Tradicionalmente construíam-se subestações de alvenaria para abrigar tais equipamentos, mas a utilização de eletrocentros tem ganhado cada vez mais força. Fabricados sob medida para cada planta, eles apresentam como vantagens a rapidez na construção, o reaproveitamento total do conjunto em caso de expansão ou mudança e um menor custo total comparado a uma instalação convencional.

A IHM Stefanini vem produzindo eletrocentros com excelência nos últimos anos em sua unidade industrial, em Betim. Projetados conforme a necessidade de cada cliente, as unidades saem de fábrica já testadas e munidas de sistema de aterramento, iluminação, ar condicionado e detecção e combate a incêndio: prontas para serem ligadas aos pontos de entrada e saída, às cargas externas e periféricos. E a fábrica acaba de produzir seu maior eletrocentro em módulo único até o momento, com um total de 14 cubículos de média tensão, além de centros de controle de motores de baixa tensão e painéis com inversores de frequência de grande potência.

O maior eletrocentro que fabricamos até agora surgiu por encomenda de uma grande companhia de fertilizantes, sendo nosso primeiro projeto com ela, que é ligada a uma das maiores mineradoras do mundo. Era necessário alimentar bombas de alta potência em uma planta localizada em Uberaba/MG e que não possuía nenhum eletrocentro até então. As necessidades da planta fizeram com que o projeto inicial fosse concebido em dois módulos, porém, propusemos ao cliente um novo arranjo em módulo único, o que evitaria a necessidade fazer interligações entre os módulos, envolvendo assim menos gente em campo e poupando tempo, o que era desejável pelo curto prazo disponível.

A unidade possui painéis de 13,8 kV modelo Evotech da Schneider, sendo que a IHM Stefanini obteve homologação da própria empresa para produzi-los na unidade de Betim.  Além dos painéis, todo o projeto elétrico do eletrocentro e de suas interligações foi realizado pela própria IHM, responsável também por sua fabricação e transporte. O módulo de grande porte  possui 4,95 m de largura e 20,60 m de comprimento, tendo sido fabricado completo ao longo de 90 dias corridos. A entrega foi realizada no mês de dezembro de 2017, tendo sido necessário utilizar batedores para acompanhar o transporte na estrada, que só podia acontecer numa faixa de horário específica. A IHM Stefanini foi responsável ainda por supervisionar sua instalação na planta e realizar o comissionamento, garantindo que tudo corresse bem, conforme as necessidades do cliente.

Além da dimensão do projeto, nos orgulha a forma que ele nos foi designado: fomos recomendados pela mineradora à qual a companhia de fertilizante é ligada, tanto pela qualidade dos eletrocentros que já havíamos fornecidos a ela quanto pela capacidade de cumprir prazos exíguos. Vemos nisso um grande reconhecimento do trabalho desenvolvido e um incentivo para produzir mais e mais, nos qualificando como uma das grandes fornecedoras de eletrocentros do Brasil e detentora dos menores prazos do mercado.

Carlos Alberto Viegas Gonçalves
Engenheiro Eletricista com especialização em sistemas elétricos de potência, possui 33 anos de experiência profissional na indústria e em concessionárias de energia, contemplando Subestações de média e alta tensão e usinas elétricas. Sólida experiência na comercialização e fabricação de subestações de média e alta tensão, painéis elétricos, eletrocentros e em implantação de sistemas elétricos em regime turn-key.