Na maior parte das indústrias os dados de alarme não são considerados um ativo de informação importante. Conforme relatório da ASM Consortium Managing Human Reliability: An Abnormal Situation Management Historical perspective, métricas de desempenho ruins e taxa de erros operacionais devido a erros humanos próximas a 40%, demonstram uma atitude de descaso ou desconhecimento do impacto negativo da falta de gestão destes alarmes. Este comportamento leva a indústria a desperdiçar oportunidades de melhoria operacionais que poderiam alavancar a eficiência, garantir segurança e elevar a inteligência de processo a patamares muito superiores. Neste artigo pretende-se descrever, com base em estudos de caso reais, quais são os principais motivos desta falta de clareza do potencial da gestão de alarmes e quais seriam os elementos fundamentais de uma uma boa solução.